quarta-feira, 24 de junho de 2009

MIGALHAS

To irritada, aceito migalhas
Como pombos na praça
Contentam tão pouco
Mendigo emoções retalhadas

Cato migalhas no chão
Vou na contramão
Retalhos de paixão
Sobras de ilusão

Beijo sapos retardados
Que viram cacos disfarçados
Sonho borrado, sonho acordado
Sufoco choro amarrotado

Levanto do poço sem fundo
Desnuda e descalça
Corpo inerte que sobe
Enxerga a luz e decola

2 Comentários:

adelaidekeller disse...

Como sempre tudo que vc escreve minha querida, é muito bom, mas achei este bem especial...
Beijos Mágicos

Vandi disse...

como as migalhas de um coração é tudo que temos.
Erga tuas mãos e talvez encontre as minhas também erguidas em busca de todo o amor que possa dar e todo o carinho que por ventura possa receber do meu coração.
eu também deliro em meus versos.

vandi