domingo, 2 de maio de 2010

CONFISSÕES DE UM ANJO DESARMADO

Indefesa e desarmada ficou
perante a inconfessável agressão.
Abusada infância que a consome.
Teve a inocência espiada da janela
e apagada pelas escadas que rolou.

A culpa que carrega não é sua.
Afetada e castrada, ti condena.
Maldito que nem sonha o que a tornou.
Da infância fez calvário marcado
E a paralisia fez mutilar sua alma

Um anjo sem armas e com amarras criadas
Que do teu desejo insólito a degolou em silêncio
Estrangulando seus desejos pueris
Transformando a menina num ser transtornado
E do teu abuso se fez assim, perdida mulher partida ao meio.

Marcas que nunca curam, sangram pela vida afora
Embaladas pela canção de ninar de um pesadelo
Sonhos ceifados pela garganta trancada
Transportando as ilusões de um ser solitário
Para um anjo de asas quebradas

O pânico se fez de ti, levantando sujas paredes
Revelando o segredo até vomitar
Implorando o próprio perdão na tua culpa
Rastejando corrimões até o último andar
Tentando apagar tua crueza num canto sórdido do patamar

Que explora até hoje a menina matada
Que sucumbiu aos perdões imperdoáveis
Onde a única arma era a inocência humilhada
E que ainda enxerga a própria dor,
quadro a quadro e em preto e branco
Revendo tua cara, teu odor, a prisão do eu menina...

Que você insanamente abortou
Perdoar, para que não morra revendo o trauma
Pelo resto da vida tentando desculpar
Aquilo que lhe causou e o que lhe roubou
Uma inocência desarmada e abusada.
Guardadas na mais secreta das gavetas...


PS:.Os anjos sempre recriam suas asas.

PS 2: A violência contra crianças e adolescentes, principalmente a sexual, pode aumentar o risco de que elas desenvolvam problemas psiquiátricos na vida adulta, segundo a psicóloga do Programa de Atendimento e Pesquisa em Violência (Prove), Daniela Galvão.

PS 3: Abuso sexual na infância aumenta risco de transtornos na vida adulta, diz psicóloga.

PS 4: A denúncia é muito importante porque tira a vítima do isolamento. O ato da denúncia rompe com o pacto de silêncio e o terror que a criança vive. E a resposta que o ambiente social vai dar é que vai ajudar a criança a dar um sentido para essa situação e refazer seus laços pessoais, disse a especialista, ressaltando que o tratamento obtém resultados melhores quando os pais da vítima de abuso estão mais atentos aos sinais e abertos a conversar com o filho sobre a situação que ele vivenciou. A criança ainda depende muito do adulto para significar essa experiência de violência, afirmou.
Fonte: http://corderosachoque22.blogspot.com/2009/05/18-de-maio-combate-contra-pedofilia.html
Veja também: http://gavetasdalidia.blogspot.com/2010/03/pedofilia.html

Cartilha: http://www.magnomalta.com/site/pdf/Cartilha_frente_verso.pdf


11 Comentários:

REGGINA MOON disse...

Lídia,

Ótimo texto...meus parabéns!!!

Iniciativas de postagens como essa fazem a diferança...

Tenha uma ótima semana, repleta de paz e harmonia.

Beijos!!!

Reggina Moon

Retire em meu Blog Verso & Prosa o selinho "Prêmio Blog de Ouro", que estará em destaque essa semana...

Graça Pereira disse...

Este post, todo ele é uma chamada de atenção...infelizmente cada vez mais necessário. Parabens pela frontalidade e coragem.
Um beijo amigo
Graça

Pelos caminhos da vida. disse...

Hoje à partir das 18 hrs, meu blog está concorrendo mais uma votação da Copa Blog, conto com seu voto amiga.Essa votação termina dia 05/05 e, depois aguardar a semi- final.

Meu blog é:

http://anamgs.blogspot.com

O site para a votação é esse aqui:

http://dado.pag.zip.net/

Caso não consiga acessar por aqui, o link está no final do post atual meu.

Desde já fico-lhe grata.

Uma semana de muita luz.

beijooo.

Voltarei depois pra ver seu post.

Richard Mathenhauer disse...

Lídia,
Excelente postagem!
Já tive oportunidade de ter contato, num dos meus trabalhos, com casos de agressão/abuso à criança e adolescente, e infelizmente a grande maioria ocorre dentro de casa ou por alguém proximo a familia. E duas coisas muito interessantes qdo se fala nisso, especialmente em violencia sexual, é que há resistência em se acreditar no relato (ou nos sinais) e a resistência materna qdo o que abusava era o marido/companheiro.

Todavia, defendo o bom-senso e a responsabilidade nos casos de denúncia, pois a mídia elege, de tempo em tempo, um tema que explora ad nauseam (eis aí os casos de padres pedófilos, qdo há muitos leigos abusadores), e, assim como na inquisição, não se pode ir por rompantes de emoção, sim, sempre pela razão.

Novamente, excelente postagem.
Abraços do Camarada de Palavras,

Silvia C. Barbosa disse...

Oi Lídia.

Parabéns pelo poema, ecrito numa sensibilidade tamanha.
Pude experimentar cada sensação nessa leitura. Nó na garganta.

Que isso acabe,e quem sofra denuncie mesmo, porque as marcas só quem sofre e carrega é que sabe o peso.

Beijos

Sonhadora disse...

Minha querida
Um texto muito actual, e nunca é demais falar nele.

deixo um beijinho

Sonhadora

Josy Nunes disse...

Oi,
Lídia,
texto super interessante e envolvente...parabéns pela postagem, pela coragem, obrigada por nos manter alerta.Valeu!! Bjos no coração e fica com Deus

Zininha disse...

Que triste ter-se que abordar um tema como este, e saber que cada vez mais os casos aumentam...

Outro dia, um caso de pedofilia, uma babá molestava um bebê de 6 ou 8 meses...gente, como pode isso!!!!

crueldade e falta de Deus no coração...

Beijos...

lis disse...

É sempre bom alertar sobre o tema . É chocante e deprimente, mas está aí , todos os dias.
Não podemos silenciar
mesmo, voce está certa.
TRiste poema de um anjo desarmado.
Que Deus proteja nossas crianças.
abraços Lidia , saudades de ti.

Pelos caminhos da vida. disse...

Parabéns pela postagem, denuncie sempre que ver, ouvir ou saber de algum Crime Hediondo.

Obrigada pela sua visita amiga.

beijooo.

Zininha disse...

Amigaaaa...tem um mimo pra você do dia mães... ele está te esperando e eu também...beijos...