domingo, 1 de agosto de 2010

A VIDA É UM RISCO

E eu rabisco memórias que fiz
Através de noites escuras
E dias amanhecidos em mim
Refazendo amores que perdi
Das vidas que já conheci
 
É um risco o ser vivo
Mas não o ser nos deixa tão mortos
O risco maior do amor é amar
Mas não amar nos deixa vazios
Risco riscado com dor ou amor
 
Rabisco minha vida
Risco torto ou retilíneo
Não importa, vale o risco
Ele não é infinito
É formado de pontos
 
Como se fossem instantes de vida
Que somados formam um risco
Uma linha de vida
Importante arriscar o risco
Que se acaba num ponto
 
A extensão da linha nem vai importar tanto
Sua densidade é a nossa passagem
Que compramos sem conhecer o ponto final
Mas que cada estação seja um ponto feliz
Pra que a linha não se forme em vão.

13 Comentários:

Meri Pellens disse...

Belíssimo, Lídia! Viver e amar será sempre um risco que sempre vale à pena.
Beijos na alma!

Clecilene Carvalho disse...

E nos riscos se formam o livro da vida! Belissimo!

Beijos.

Pelos caminhos da vida. disse...

Passando rapidinho só pra avisar que estou de volta.

Senti tantas saudades desse mundo fascinante da blogsfera, dos amigos, é muito bom estar de volta.

beijooo.

lis disse...

A extensão da linha nem vai importar tanto
Oi Lídia
Como voce também estive ausente daqui, fazia um tempinho que nao conversava com voce, o motivo é que também estava meio que" afogando" , precisei dar uma parada, respirar fundo e voltar mais calminha , sem tanta correria achando que precisava estar em todos os cantos.
Estou voltando bem "light" rs , ainda mexendo nas gavetas ( são muitas) rs e sem pressa.Portanto nao repare se demoro voltar , estou aqui , te vendo de longe, nem sempre presente nos comentários ,ok?
quero voltar aos pinceís , quero quero e quero entao esse famoso tempo que corre célere me detém . entende?
adorei seu post anterior , sua limpezinha básica nas gavetas, nas lembranças , aqueles retratinhos que a gente tem pena de desfazer, sei bem e como entendo disso!
que a " extensão da linha" seja suficiente pra formar belos mosaicos felizes , tudo de novo, ok?
muitos abraços pra ajudar na semana e ser feliz
bjinhos

Renato Orlandi disse...

Adorei, principalmente a última estrofe, nossa, sou do tipo que desenhava e depois forçava e apagava milhoes de vezes até ficar perfeito, mas na vida isso não é possível, temos que ser certeiros a cada risco e quando pararmos, estacionarmos para refletir e saber o proximo ponto, o proximo passo, só no final, quem sabe ainda durante, veremos a beleza do desenho formado, da vida vivida... Muito inspirador, adorei! Bjao e muito obrigado pelo carinho minha amiga! Mil beijos!

Lidia Ferreira disse...

Amei , como sempre seus poemas são maravilhosos , mas esse tocou mais
Que bom que esta voltando , amiga desculpa minha ausência e que estou correndo com o Blog The best , começou a brincadeira
bjs

isabella lundu disse...

Adoreiiiiiiiiii.Lindo demais !
A maior covardia na vida é o medo de amar .Coragem sempre para que a linha da nossa vida não se forme em vão.

Josy Nunes disse...

Oi,
Lídia,
passando para matar as saudades. Tava num corre-corre louco...mas tá tudo se normalizando. Lindo e emocionante poema. Adorei! Beijão no seu coração e fica com Deus.

Josy Nunes disse...

Oi,
Lídia,
Esqueci de dizer tô te linkamdo lá pro Banana com Farinha...beijão..
Josy

Calu disse...

Belíssimo riscado
de profundo saber
marcas, desenhos,
linhas do viver!
---------------------------------
Cada estrofe emerge como parte e como unidade de um bordado vívido.
Muito lindo, Lídia!
Bjos
Calu

Graça Pereira disse...

Querida Lidia
Belissimo o teu poema... Viver e amar é sempre um risco mas...que todos gostam de o...rabiscar...
Já arrumaste tudo na tua nova casa?
Muitas felicidades.
Beijo
Graça

Silvia disse...

Lídia...

Lindo demais...
Beijos

Deusa disse...

Oiiii
E bom saber que voçê esta bem e feliz....andei sumida pois tirei férias para rever a familia,renovar as energias,rever as amigas,passear com a filha e marido...renovação...sempre...
Beijinhos
Deusa
vasinhos coloridos