sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Uma Fantasia



Foi um amor condenado
já nascido morto
Amor protelado e adiado
chorado, desesperado
Fantasiado, menosprezado
Foi odiado e amado
sonhado, sintonizado
Chegou num verso encantado
montado em dois corações
Assustado, temeroso
do nada, se fez tudo
Amor covarde e fugido
De culpas e desculpas
Tarado e cuspido
E um dia..
Afogou-se no mar, o coitado
não resistiu, transpassou
ao toque grosso
e ao medo
E aquele beijo no pescoço
escorreu costas abaixo
até te encontrar bagunçada
e toda mordida
..a gente fica.